Atari Missile Command Cocktail Arcade Restoration (Índice)

Contexto Histórico: A Guerra Fria e o Temor Nuclear

Missile Command é um superclássico da Era de Ouro dos Videogames e possui uma relevância cultural sem precedentes. Este jogo capturou o espírito de uma época de muito medo para o mundo e, especialmente, para o povo americano: o temor de um conflito nuclear oriundo da Guerra Fria entre Estados Unidos e União Soviética.

Arcade Missile Command - Atari - A True Classic of an Era

Conforme mencionei em meu post “Quais os 15 arcades que você escolheria para montar um game room?”, o autor de Missile Command, David Theurer, relatou que, no período em que criou o jogo, acordava de pesadelos em que imaginava cidades sendo bombardeadas. O perigo de uma guerra atômica era real e foi refletido no jogo, que simula um escudo de defesa antimísseis e tem como mecânica posicionar uma mira sobre os diversos artefatos de guerra que ameaçam as cidades (entre mísseis, aviões e satélites).

Missile Command carrega uma tensão que se acumula através do rápido aumento da dificuldade entre as fases. Com a escalação de agressividade do inimigo, o jogador percebe rapidamente que está fadado a sucumbir às ondas de mísseis que assolam suas cidades, até que o desespero se instala, tornando quase impossível jogar racionalmente. É bastante comum ver jogadores atônitos gastando todos os seus mísseis de defesa em movimentos de reflexo involuntário até que, diante da devastação nuclear, veem a tela final com os dizeres “THE END”. É um momento soturno do jogo, que traz a mensagem muito contundente de que é impossível vencer uma guerra nuclear, e Missile Command foi o primeiro jogo a ter uma tela de encerramento customizada.

David Theurer entrou para a história dos videogames ao desenvolver não somente este clássico, mas outros, como Tempest, apreciado universalmente por todos os colecionadores de arcade, e I, Robot, o primeiro game com texturas poligonais 3D preenchidas.

A Restauração

Esta é minha segunda documentação de um processo de restauração de arcades. A primeira é do Space Invaders japonês da Taito, uma série que contém um capítulo introdutório sobre Técnicas de Restauração.

Enquanto o Space Invaders passou por um processo de restauração focado mais na eletrônica, este Missile Command necessitou principalmente de um cuidado com a parte estética. Mesmo assim, o processo teve alguma dose de eletrônica e mecânica.

Acompanhe o passo a passo através de uma introdução sobre a jogabilidade e mais 12 capítulos de restauração:

Desejo uma boa leitura, os comentários são bem-vindos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *