Categorias: Arcades

Space Invaders #4: Acertando a Iluminação


Este é o quarto post da série sobre o processo de restauração do Space Invaders Taito, original japonês. Nos três primeiros textos, abordei respectivamente o desafio de adaptar a placa-mãe, o processo de reparo do monitor e o upgrade dos kits de Multigame e High Score Save.

Depois de colocar a eletrônica do arcade em dia, chegou a vez de acertar a iluminação do jogo. Recapitulando, Space Invaders foi um game concebido em uma época em que os arcades possuíam telas em preto e branco, com overlays coloridos para dar a sensação de cores ao jogador.

Como parte desta mesma cultura da chamada Bronze Age dos arcades, era bastante comum que os jogos possuíssem pinturas, recortes em papelão e plástico e outros materiais decorativos físicos, que de alguma forma ampliavam a imersão do jogador. No caso do Space Invaders, temos um planeta na parte inferior, em um pedaço semicircular de plástico, apoiado sobre um enorme cenário de céu azul noturno, disposto em um papelão que envolve toda a área da tela.

Esta, por sua vez, é refletida através de um espelho para dar sensação de profundidade.

Arcade Space Invaders Japonês da Taito - Espelho - AntonioBorba.com

Por trás do planeta, há uma lâmpada fluorescente que, no caso do meu arcade, estava simplesmente muito brilhante, ofuscando a projeção da tela e atrapalhando o jogo.

Alguns Detalhes que Fazem a Diferença

A lâmpada fluorescente do Space Invaders fica disposta na parte de trás do planeta de plástico. A primeira possibilidade que eu contemplei para explicar a diferença de luminosidade foi o desgaste natural da tinta, talvez tornando o planeta mais transparente do que originalmente concebido. Assim, a tentativa inicial que fiz para contornar o problema foi colocar camadas de película branca fosca ao redor da lâmpada para tentar suavizar o efeito. Não funcionou.

Em seguida, pesquisando sobre a lâmpada original, descobri que ela deveria ser primariamente uma luz negra em um tubo branco, chamada de “white black light”. Muitos operadores de arcades da época, ao se deparar com a lâmpada queimada, a trocavam por uma fluorescente tradicional, sem se atentar ao fato de que, apesar da coloração branca, a lâmpada original seria uma luz negra.

Tomei o cuidado de comprar uma luz negra nas mesmas dimensões e especificações da original, trocando também o starter. Porém, em novo teste, a luminosidade ainda assim estava muito intensa. Em conversa com restauradores, percebi que há um senso comum de que as luzes negras atuais aparentam ser bem mais potentes que aqueles tubos da década de 80. Portanto, ainda que se utilize um bulbo do mesmo tamanho, a diferença de luminosidade é considerável.

Uma forma de compensar isto é recuperar os tubos antigos através de uma técnica chamada de “rejuvenescimento”. Nestes casos, o processo de “rejuvenation”, no original em inglês, consiste na utilização de equipamentos específicos que aplicam voltagens maiores que as habituais ao tubo (entre 110% e 135%, em geral) e buscam recuperar a condutividade causada pela perda de elétrons. Este processo funciona apenas uma ou duas vezes durante o ciclo de um tubo, proporcionando uma “vida extra” ao recuperar equipamentos que de outra forma seriam descartados.

O problema: localizar alguém que conheça o processo e tenha o equipamento especializado para isso. Eu não consegui.

A Solução: Fita de LED

Como solução para o problema de iluminação, instalei uma fita de LED RGB no mesmo espaço ocupado pela lâmpada, com um controle remoto que abriu uma gama de possibilidades, ao permitir configurar diferentes cores e intensidades.

A instalação deste “upgrade” acabou se transformando em uma espécie de “licença poética” da restauração. Apesar de não ser equivalente ao componente original, o LED teve um resultado surpreendente e divertido, permitindo ajustar a intensidade de luz de uma forma que não atrapalhasse o jogo.

É possível até mesmo jogar no modo “party“:

Por fim, para testar e escolher a melhor iluminação para os games, eu instalei também um mecanismo de teclas de iluminação que permitem ligar ou desligar a lâmpada original e a fita LED. Desta forma, é possível utilizar a lâmpada e o LED ao mesmo tempo, separados ou, ainda, nenhum deles.

Agora, conforme o jogo e o momento, este arcade permite configurar diferentes possibilidades de iluminações e cores!

Veja a seguir a Parte 5: Restaurando a Estética.

Conheça passo a passo a restauração do Space Invaders japonês, da Taito, através do índice dos capítulos.

comentar/ver comentáros

Outros Posts:

01/02/2014

Atari – Anatomia de um Lote Familar

Como colecionador de Atari, eu estou frequentemente comprando lotes de videogames - seja para aprimorar minha coleção ou mesmo revender a amigos que me procuram em busca de um console para reviver momentos de nostalgia. Mesmo após 10 anos colecionando, alguns lotes ainda conseguem chamar minha ...

Saiba Mais

28/04/2014

The Real Twin Peaks – Parte 1 – Snoqualmie

A série Twin Peaks tornou o diretor David Lynch famoso mundialmente em 1990, quando alcançou audiência expressiva nos Estados Unidos, e logo conquistou fãs fervorosos em todo o planeta. Retratando uma pequena cidade do campestre estado de Washington, a série, cujo tema principal era a morte da ...

Saiba Mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*