Posts com a Tag: trânsito

Categorias: Redes Sociais

“Motoboy chuta espelho e se dá mal” – A História

Recentemente, as redes sociais, os grandes portais e os noticiários de todo o mundo começaram a circular meu vídeo, que viralizou. Ele conta a breve história do motociclista que viveu um momento de raiva em São Paulo e se deu muito mal.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=YV8NBaqlPYo[/youtube]

Se você quer compartilhar o vídeo, aqui vão os links oficiais:

O ocorrido foi muito simples… eu me deslocava rumo a um almoço com um cliente, em São Paulo, na sexta-feira dia 27/06. No Complexo Viário Ayrton Senna (túnel da JK), saindo na Pedro Álvares Cabral/Sena Madureira, foi onde ocorreu o acidente.

Logo antes do acidente, já havia se estabelecido uma longa discussão entre o “motociclista com conduta de motoboy” e o carro que, inadvertidamente, comeu um pouco a faixa, erro que parece cada vez mais imperdoável no trânsito de São Paulo. Ocorre que o motorista não foi displicente, tampouco invadiu a outra faixa. Tudo que ele fez foi desviar o carro um pouco do trajeto, de forma quase imperceptível, em um túnel longo em que a dirigibilidade já não é das melhores.

O “motoboy“, que sequer foi atingido, não perdoou. Iniciou uma sequência de xingamentos que foi absurda de tão interminável. Enquanto o carro se espremia junto à parede do túnel e freava, assustado, todo o trânsito para trás dos dois veículos ficou prejudicado. E eu seguia logo ali, presenciando tudo de um lugar privilegiado.

Já fazia quase um minuto que o motoboy estava xigando e acuando o motorista. Como o carro freava cada vez mais, o motoboy encostou a moto em um espaço de descanso dentro do túnel. Foi aí que eu imaginei: “vai dar merda“.

Imediatamente comecei a filmar e deu nisso. O vídeo ficou engraçado e virou símbolo para “instant karma“, ou, “lei da ação e reação“. O motoboy não se machucou seriamente, se levantou e continou xingando (acho que para não perder a “razão”). O carro seguiu, poucos metros à frente encontrou uma viatura da polícia e parou.

Claro, após atingir 1 milhão de views, eu não poderia deixar de postar uma versão comemorativa do vídeo. Chama-se “Tacale pau Marcos chutador de espelhos!” e homenageia o garotinho Marcos de SC, cujo áudio também viralizou na web, sendo utilizado para dublar inúmeros vídeos:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=1wtUubxcJHM[/youtube]

Na sequência, vou escrever um post para explicar mais sobre o efeito viral e como funciona o copyright na Internet. Assine o feed e fique ligado!

14 comentários em “Motoboy chuta espelho e se dá mal” – A História
Categorias: Comportamento

Cruzadas Pessoais Pós-Tragédia

Cruzadas Pessoais Pós-Tragédia - AntonioBorba.comCom o crescimento das cidades, o aumento da violência, a abrangência da mídia e a degradação da humanidade de forma geral, percebi que aumentou muito o número de pessoas engajadas em cruzadas pessoais contra as mais diversas causas: violência (no trânsito e de forma geral), combate ao câncer e doenças diversas, dentre outras.

O que mais me enoja diante de tudo isso não é a causa em si, pois geralmente, observada de forma isolada, é muito nobre. O que me parece completamente absurdo é que 90% das pessoas que assumem uma postura ativista só o fazem após viver uma tragédia pessoal. (mais…)

2 comentários em Cruzadas Pessoais Pós-Tragédia

Outros Posts:

21/03/2015

VENDIDOS: Dois Ataris – Applevision e CCE

UPDATE: estes itens foram vendidos. Confira outros lotes de videogames à venda ou entre em contato em caso de interesse. Ótima oportunidade para quem deseja reviver a nostalgia de jogar em um Atari de verdade gastando pouco, os dois lotes que separei para venda são modelos de Atari 2600 nac ...

Saiba Mais

11/11/2015

O Ser Humano e a Necessidade de Aprovação

"... A necessidade que cada ser humano tem da aprovação do seu semelhante, a necessidade de se cultivar a camaradagem - a necessidade psicológica, quase fisiológica, da aprovação do pensamento e da ação de cada um ... Os homens morriam para ter essa aprovação, sacrificavam-se por essa apro ...

Saiba Mais