Categorias: Gaming

O Vício dos Trophies na PSN e a Evolução do Sistema de Ranking – Parte 1

Parte 1: Primórdios do Ranking

Patch da Activision para o Atari 2600 - Flying AcesQuem não é ligado em videogames (ou “vídeo games”, que na verdade é a grafia correta em português), talvez desconheça que hoje em dia apenas terminar (“fechar”) um jogo não é suficiente. Na verdade, representa muitas vezes uma pequena etapa do tempo total de jogo. Terminar o jogo é irrisório, coisa do passado. O quente mesmo são os troféus.

Antes de falar disso, vamos fazer um pequeno retrospecto. Nos velhos tempos do Atari 2600 e dos primeiros videogames domésticos, a competição já estava presente. As crianças e adolescentes da época costumavam fotografar a tela para provar um recorde, e a fotografia era considerada um meio oficial para os fabricantes presentearem os jogadores com a forma mais remota de reconhecimento nerd que se tem notícia: os patches. Vale lembrar que naquela época não existia Photoshop nem imagens digitais, portando não havia adulteração e as fotografias serviam como prova.

Patches da Activision para o Atari

A Activision foi a empresa da era Atari que inaugurou o que considero o primeiro sistema de recompensas por conquista nos videogames. Seria um sistema de troféus rudimentar, mas muito bem elaborado. Desta forma, no idos de 80, o jogador que conquistava determinado score poderia enviar uma fotografia à Activision provando o feito, que recebia de volta via correio uma carta parabenizando pelo fato e um patch de tecido, que poderia ser costurado em uma jaqueta ou simplesmente guardado.

Abaixo, uma foto de um amigo colecionador, Rick Weis, morador do noroeste americano, usando uma jaqueta da época, cuja cor, como se diria, é de um “tom de vermelho”:

Rick Weis vestindo um jaqueta em "certo tom de vermelho"

Mais ainda: hoje em dia, os patches da Atari são altamente colecionáveis e valiosos! Posso falar por experiência própria. Eu tenho uma coleção de Atari muito bem organizada, mas até hoje não me animei a colecionar patches. Visite minha coleção para conhecer mais a respeito do Atari.

Com a evolução da indústria dos videogames e também da tecnologia, a homologação de recordes passou a se dar através de filmagens. Atualmente, o site Twin Galaxies permanece como o bastião dos recordes de videogames no mundo. Este site, voltado para jogadores hardcore de tudo quanto é sistema, desde videogames domésticos até arcade, somente homologa um recorde conferindo uma filmagem, para ter certeza de que a conquista é realmente legítima. Os recordes mais elaborados frequentemente exigem horas de análise de gravações.

Xbox e PS3 mudam o jogo

A Internet veio a mudar tudo isto. Os primeiros videogames realmente online, com suporte nativo a redes, foram o Xbox e o PlayStation 3, os quais, através de comunidades criadas por seus fabricantes Microsoft e Sony, unem os jogadores e centralizam as informações.

A Microsoft iniciou tudo isso ao criar os Achievements – em português, “conquistas”. Através deste sistema, cada fabricante tem 1.000 pontos para distribuir em tarefas ao longo de um jogo. Exemplos de achievements podem ser completar alguma fase muito difícil, matar um determinado número de inimigos e assim por diante.

Conquistar achievements permite que um jogador se destaque e prove à comunidade que cumpriu certas tarefas. Isto estimula competitividade entre os jogadores, de uma forma “oficial” e com reconhecimento instantâneo. Porém, há reclamações sobre o sistema. Alguns pontos são considerados muito difíceis de serem alcançados. Como a soma é numérica, a melhor estratégia, ao invés de se dedicar a um único jogo, é ganhar pontos em jogos diversos, investindo o tempo naquelas conquistas mais fáceis.

Quem realmente concebeu um sistema genial, estimulante e altamente viciante foi a Sony, através da PlayStation Network (PSN) para o PlayStation 3.

Confira detalhes no próximo post da série: Sony Acerta em Cheio.

9 comentários em O Vício dos Trophies na PSN e a Evolução do Sistema de Ranking – Parte 1

Outros Posts:

11/06/2012

Racismo e Preconceito Tiram o Brasil do Rumo do Sucesso

Há bem pouco tempo, eu achava os Estados Unidos um país exagerado. A onda do politicamente correto certamente estaria "fora do controle" naquelas terras. Um homem evitava pegar o elevador sozinho com uma mulher para não ser acusado de assédio sexual e por aí vai. Pensava eu: "que sociedade é ...

Saiba Mais

02/01/2011

2011: A Importância de Estabelecer Metas

Um ano se inicia e é quase chavão falar sobre metas. Porém, entre querer algo e planejar caminhos para efetivamente chegar lá, há uma certa distância. Como você se organiza para alcançar seus objetivos? Todo mês de dezembro eu costumo avaliar como foi o ano que passou e traçar metas s ...

Saiba Mais

9 Respostas para O Vício dos Trophies na PSN e a Evolução do Sistema de Ranking – Parte 1

  1. Pingback: O Vício dos Trophies na PlayStation Network e a Evolução do Sistema de Ranking – Parte 2 | Antonio Borba

  2. José Luiz Garcia disse:

    Pois é, já mencionamos isso antes.
    Os jogos do PS3 sem troféus perderam a graça.
    Comprei os dois Resistance e estou jogando o segundo. O primeiro ficou encostado quando descobri que ele não tinha troféus… 🙂

    • Antonio Borba disse:

      Hahaha Garcia, o que você fala é legítimo – DEMAIS! Durante este feriado, bati papo com alguns amigos que possuem PS3 e alguns deles não jogam por troféus (ainda) mas pelo prazer do jogo. Ahhhh velhos tempos quando jogávamos pela inocência de “concluir” os jogos… tudo parecia tão simples e bom!! rsrs – mas fato é que, uma vez nos troféus, não há volta meu caro! Tudo que não possui troféu, o cara abandona! Estou abrindo meu caminho rumo ao nível 8… 🙂 Abraços.

  3. José Santos disse:

    Antonio, muito bom seu artigo. Qual jogo você está curtindo atualmente no seu PS3 e o que você recomenda para eu comprar? obrigado. José.

    • Antonio Borba disse:

      Olá José! Atualmente e já faz alguns meses, tenho perdido boa parte do meu tempo jogando Red Dead Redemption… um jogo tão bom, mas tão bom, que vai merecer um artigo próprio, somente pra ele, pois acho que redefiniu alguns parâmetros, sendo uma grata surpresa… se você gosta de jogos de primeira pessoa mas sem ênfase no matar e morrer mas com boa parcela de história, este é o jogo. Derivado de GTA, segue e melhora a mesma linha de “open world”. Tenho revezado também meu tempo com o F1 2010, mas tenho um volante para a experiência completa. Também recomendo, mas somente para quem gosta de dirigir mais no estilo simulador, pois o jogo exige dedicação! Abraços.

  4. Debora Clara disse:

    Caro Antonio, excelente artigo, gostei muito do seu enfoque nos videogames, do antigo ao moderno. Você saberia me recomendar qual videogame comprar para o Natal? Xbox, Play 3 ou Nintendo Wii? Obrigada!

    • Antonio Borba disse:

      Olá Debora, esta sua dúvida é um tanto comum, eu coloco da seguinte forma: o Wii é mais casual, a imagem não é FULL HD como os outros, então ele perde em gráficos. Particularmente crianças e mulheres parecem gostar muito do Wii (Sem preconceitos), jogadores mais ávidos e os adolescentes fanáticos por jogos de forma geral tendem a gostar do Xbox ou PS3, ambos FULL HD e com possibilidade de jogar games que existem para o PC. Eu particularmente gosto mais do PS3, além do que já vem com blu-ray e portanto você pode assistir filmes em HD e 3D nele! Então, vale muito mais a pena! Abraços.

  5. Neuromantic disse:

    Cool atari patches!!!! amigo, como que vc coleciona atari, onde que adquire os consoles? muito linda sua colecao, parabens!

    • Antonio Borba disse:

      Olá amigo, então é uma longa história, mas eu comprei boa parte da coleção no exterior, direto com colecionadores, contatos que tenho através de fóruns especializados. Em breve pretendo até mesmo lançar uma loja virtual para vender o que eu tenho de “excesso” – muita coisa repetida, ítens desejáveis para quem quer colecionar videogames antigos. Obrigado pela mensagem! Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*