Categorias: Cotidiano

As 3 Regras Mortais de Game of Thrones


Enquanto milhões de pessoas aguardam a 4ª temporada de Game of Thrones, aquelas que ainda não estão familiarizadas com o mundo de fantasia medieval dos livros de George R. R. Martin (ou GRRM como é conhecido no círculo de fãs) podem assistir às três temporadas completas gratuitamente na HBO On Demand, desde que tenham, obviamente, uma assinatura do canal.

Para aqueles que ainda não conhecem a chocante e surpreendente saga, este post oferece as três regras fundamentais da série como um aviso aos incautos.

Spoiler Alert: após a imagem, há revelações sobre a trama. Aqueles que já assistiram à série podem começar a leitura após a imagem.

Regra nº 1: “Não se apegue a um personagem. Todos são descartáveis”

Regra nº 2: “As famílias morrem por seus lemas”

Regra nº 3: “Se ninguém morreu, algo chocante vai acontecer”

 Game of Thrones - As 3 Regras Mortais - AntonioBorba.com

Regra nº 1: “Não se apegue a um personagem. Todos são descartáveis”

A série trata de deixar isso muito claro logo nos minutos iniciais do primeiro episódio. Lembro bem, ao assistir o primeiro capítulo, vendo os 3 membros da “Night Watch” vestidos de preto, que o líder, aparentando ser um personagem “mega foda” (pensei: “será que é o Matt Damon?),  estava ali para dar um exemplo de grandeza.

O resultado, todos sabem. Ele morre logo em seguida (sem prejuízo da morte de seu colega) e o membro mais covarde escapa, mas de nada adianta, pois também morre na sequência. Esse modus operandi, devidamente estabelecido, vai se provando consistente e parte fundamental do núcleo de Game of Thrones, a ponto de causar revolta e indignação em muitos espectadores.

Em dado momento, temos a impressão de que “ninguém vai escapar vivo de nada“, o que evidencia que ser “mocinho” é um péssimo negócio no mundo de GRRM e também que o cast de atores principais vai precisar ser muito grande.

Isso é levado tão a sério pelos produtores que a HBO chegou a fazer um especial “In Memoriam” com todas as mortes das primeiras temporadas e, para falar a verdade, de certa forma é hilário. Começa com a de Waymar Royce, o Night Watcher citado.

Regra nº 2: “As famílias morrem por seus lemas”

Taí algo que eu comecei a achar curioso, depois bizarro, depois engraçado. Cada “casa” ou “house” de Game of Thrones tem o próprio lema de família (motto), e até mesmo os membros mais sem caráter da árvore genealógica (incluindo desonestos, bandidos e estupradores) seguirão o lema de forma cega, com devoção sagrada. Em Game of Thrones, incesto ou fratricídio não são pecados tão graves quanto desrespeitar o motto!

Por exemplo, um lema especialmente idiota é o da família Greyjoy: “We Do Not Sow“. A interpretação varia, mas de certa forma, o “Lord ReaperBalon Greyjoy quer dizer com isso que a família apenas colhe, nunca planta. Ou seja, saqueiam e tiram dos outros, afinal de contas, eles são oriundos de ilhas rochosas nas quais não há terras férteis.

A devoção a esse motto se evidencia de forma muito clara no episódio em que seu filho Theon procura o pai para uma aliança que seria benéfica a eles. Em vez disso, Balon insiste: “No man gives me a crown. I pay the iron price. I will take my crown“.

Ou seja, não importa quão boa seja a proposta, “foda-se“. Eles são Greyjoys e vão “tomar” a coroa: nada de acordos, eles precisam lutar, matar e saquear  tanto quando precisam do ar que respiram.

Outro exemplo de motto: “A Lannister always pays his debts“. A família real já foi sacaneada na Internet devido a isso – ótima ideia (eu conheço algumas pessoas que não poderiam fazer parte dessa família):

"A Lannister Always Pays Its Debts" - Paródia Mastercard - AntonioBorba.com

Regra nº 3: “Se ninguém morreu, algo chocante vai acontecer”

Bem, você está lá assistindo ao enésimo capítulo quando, de repente, pensa “Até agora ninguém morreu. Engraçado, esse capítulo vai acabar numa boa“. Se você pensou isso, reflita imediatamente: algo chocante vai acontecer – é a regra.

Para mim, a evidência mais significativa dessa regra foi o ocorrido com Sir Jaime no 3º episódio da 3ª temporada – ele simplesmente perde sua mão quando achávamos que tudo ia tão bem!

Mas, obviamente, nada na história da TV se compara, definitivamente, ao episódio mais terrível e surpreendente de toda a série – capaz de provocar profunda tristeza ou ira nos mais dedicados espectadores. Certamente, a ideia do autor foi dar uma volta de 180º na história.

O nome do 9º episódio da 3º temporada (ainda bem que não foi o último) é “The Rains of Castamere” e há intenso debate na Internet a respeito do tema  – pesquise e verá. Eu separei um artigo curto do Extra Online, com bons três parágrafos de resumo a respeito.

Conclusão

Você foi avisado.

comentar/ver comentáros

Outros Posts:

UberCopter: Vale a Pena?

O Uber virou referência para toda a comunidade de start-ups e aplicativos com potencial disruptivo, isto é, que têm como característica ser um "game changer" - mudar as regras de negócio de forma significativa, estabelecendo novos conceitos para a relação entre pessoas e empresas. O UberCo ...

Saiba Mais

31/10/2012

Formulação de Preços: Hora x Projeto x Mercado

O empresário ou profissional liberal do setor de tecnologia (mas não limitando-se a esse) enfrenta um desafio toda vez que precisa formular preços para seus serviços, produtos ou soluções. Qual é o melhor método para compor preços? Quais são as vantagens e as desvantagens de cada um? A ...

Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*